ATUAL PERFIL DO BRASIL, MOLDADO EM 13 ANOS

Por Humberto de Luna Freire Filho


IMAGEM: dilmente.blogspot.com


IMAGEM: www.brasilpost.com.br

Um perfil do Brasil moldado ao longo dos últimos 13 anos: dois últimos presidentes; ladrões. O sem dedo roubou até a mobília e a decoração do Palácio Presidencial e depositou o butim em uma agência do Banco do Brasil (BB) com o custo de permanência pago pelo contribuinte. A maioria dos ministros: ladrões; alguns já na cadeia e outros esperando a boa vontade do STF. O presidente da Câmara:  ladrão esperando a hora. A maioria dos deputados: ladrões; aí teria que inaugurar novos presídios. O presidente do Senado: ladrão a exemplo do ex presidente da Câmara, também esperando a hora. A maioria dos senadores: ladrões, acentuando ainda mais o problema de falta de vagas nos presídios. Os dirigentes do partido governista: ladrões; a cúpula está na cadeia. Os dirigentes das estatais: ladrões; muitos na cadeia e outros esperando que o juiz Moro comece a fazer hora extra. Os dirigentes dos fundos de pensão: ladrões. A maioria dos governadores dos estados: ladrões, faliram seus estados e ficaram ricos a exemplo do bandido que governou o Rio de Janeiro. Era amigo íntimo da  governanta. Artistas (?): verdadeiros gigolôs de Ministério da Cultura (MinC), ladrões. Empresários ligados a obras públicas: ladrões.

O mais revoltante é que depois de toda a imprensa nacional e a internacional divulgarem os podres dessas quadrilhas, ainda aparecem vários senadores cretinos, um deles chamado Lindbergh Farias, arrecadador de propinas, para dizer que a dona Gleise Hoffmann, que recebeu 1 milhão de reais em propina, dinheiro roubado da Petrobras, é a mulher mais honesta e íntegra do Senado, e a senadora Vanessa Grazziotin, cujo marido foi condenado por improbidade administrativa, prestando solidariedade a outra corrupta, o que provavelmente despertou a vergonha alheia em  todas as mulheres do país. Depois dessas cretinices, dessa verdadeira falta de vergonha e de caráter, dá para imaginar o tamanho da honestidade dos demais ratos que convivem naquela fossa que chamam de Senado?

Compondo o governo anterior havia ladrões em todas as especialidades. São tantos, e espalhados em todos os porões da administração pública que um governo, por mais sério que possa ser e por mais boa vontade que tenha, não conseguirá gente honesta para ocupar os cargos chaves da administração pública dentro do atual funcionalismo de primeiro e de segundo escalão, onde o vírus da corrupção encontrou um excelente meio de cultura. É sem dúvida a maior quadrilha já formada na face da terra.

Especialista em roubar empresas estatais, Petrobras, Caixa Econômica Federal (CEF), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Especialista em roubar fundos de pensão, especialista em roubar aposentados e pensionistas. Acreditem que o ladrão especialista dá área, o corrupto Paulo Bernardo, sem ter foro privilegiado, quer ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Será que a suprema corte do país virou definitivamente a casa da mãe Joana? Especialistas em roubar e destruir a cultura do país, roubaram R$ 180 milhões e ainda foram para as ruas defender a manutenção do roubo. E como não podia deixar de faltar, temos os especialistas em enterrar o dinheiro roubado no exterior, à semelhança de cachorros enterrando ossos, condição sine qua non a toda organização criminosa.

O atual governo precisa se conscientizar de que o país tem prazo e pressa para mudar. O Executivo não pode ficar contemporizando e continuar com esses acordos espúrios para atender o corporativismo dos “picaretas” do Legislativo. A população civil (eleitorado) precisa  pulverizar o Partido dos Trabalhadores (PT) nas próximas eleições, e o poder Judiciário, em um curto espaço de tempo, jogar na cadeia o precursor de toda essa podridão, o crápula de nove dedos, Luiz Inácio Lula da Silva, vulgo Lula, e a anta que ele jogou na presidência e acabou de falir o Brasil e nos desmoralizar no exterior.

Vamos acreditar no país? Eu acho que devemos, apesar de termos gente do nível de um José Antônio Dias Toffolli, ex advogado do PT, um incompetente que por duas vezes foi reprovado em concurso público para juiz e hoje ocupa o cargo de ministro do STF, cargo que requer amplo saber jurídico e reputação ilibada, predicados que lhe faltam para o cago na mais alta corte do país. Vale a pena citar que ele já foi condenado em primeira instância por roubo  (Processo n. 010109199033 do Tribunal de Justiça do Estado) no estado de Roraima onde atuou como secretário de estado e hoje é ministro do STF. Bom, analisando friamente, onde cabe um Ricardo Lewandowisk também cabe um Tofolli, ou não?  Hoje esse empregado da quadrilha petista demonstrou a sua subserviência à bandidagem ao mandar liberar da prisão Paulo Bernardes, o famoso ladrão dos aposentados e pensionistas.

Humberto de Luna Freire Filho, médico

Facebookmail

4 ideias sobre “ATUAL PERFIL DO BRASIL, MOLDADO EM 13 ANOS

  1. Após 13 anos, o que nos resta é uma horda de bandidos que nos assalta, nos insulta e nos envergonha diante do mundo inteiro. Tudo de podre, de vil e de mais abjeto, habita o nosso pobre país e tem passagem livre entre pessoas de bem. Triste.

  2. Caro Dr. Humberto, ao ler sua crônica, um verdadeiro libelo, a gente fica imensamente triste e descrente nos políticos que temos. Como diz o ditado, “a esperança é a última que morre” vamos continuar crendo que os poucos honestos na política, juntamente com os poucos honestos do judiciário e maioria do povo brasileiro, hoje mais conscientizado do que verdadeiramente ocorre, saindo para as ruas possam derrubar esta mega quadrilha e finalmente dar condições ao nosso querido Brasil de sair de poço em que nos enterrou o nove dedos e seus sequazes.

    • José Carlos, vamos rezar para que o STF não caminhe para a prostituição a exemplo do Executivo e das duas casa do Congresso. Caso contrários só resta, infelizmente, uma solução mais radical. Quem sabe, partindo das FFAA que tem obrigação de zelar pela constituição e manter a integridade do país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *