DOUTORA, QUER APARECER OU É FRUSTRAÇÃO?

Por Humberto de Luna Freire Filho


IMAGEM: omelhordoingles.com.br

A Internet tem que ser livre. O Whatsapp acaba de ser bloqueado pela terceira vez nos últimos 16 meses prejudicando 100.000.000 (cem milhões) de usuários do aplicativo existentes no país. A maioria deles usam por conta do trabalho. Isso nada mais é que o resultado da desmoralizada justiça brasileira que abriga um bando de picaretas interessados em aparecer ou receber um por fora. A juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza, em seu despacho, ficou totalmente enfurecida porque o Facebook respondeu a uma de suas decisões com um e-mail em inglês — e pediu que futuros questionamentos seguissem nesse idioma.

Isso fez com que sua ira aflorasse a ponto de classificar o país de republiqueta, e não pensou nas consequências negativas que sua decisão traria para os milhões de usuários do aplicativo. Está explicito que a fulana provavelmente não conhece nenhuma palavra do idioma anglo-saxônico e aproveitou para exteriorizar sua frustração. A verdade é que estamos maus nas mãos dessas quadrilhas, bandos de incompetentes que atuam nos três poderes da República e que têm poderes para delegar tamanhas idiotices e prejudicar metade da população.

Humberto de Luna Freire Filho, médico

 

Facebookmail

4 ideias sobre “DOUTORA, QUER APARECER OU É FRUSTRAÇÃO?

  1. O que mais me intriga (embora eu não utilize este aplicativo), é que para bloquear o aplicativo é “vapt e vupt”, mas bloquear a “bandidagem” dando ordens de dentro das cadeias a justiça e os orgãos publicos “”NÃO CONSEGUEM””!!!!!!É muito dificil de entender.

    • Luiz, tem interesses sujos em toda essa história. Parece que até o Estadão está nessa. Leia o editorial de hoje sob o titulo “Há lei no Pais”.

  2. Existem muitas outras questões mais relevantes a solucionar; mas como a vontade e a competência são poucas, pessoas de certo poder como essa tal juíza dedicam seu tempo a atrapalhar a vida das pessoas, ao invés de melhora-la.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *