A ELITE SUJA DA RIVIERA DE SÃO LOURENÇO

Por Humberto de Luna Freire Filho

Resultado de imagem para Imagens para Riviera de São lourenço
IMAGEM: Falando de Viagem

Temos apartamento em Jardim São Lourenço (Bertioga) e costumo passar alguns finais de semana por lá. No último final de semana, após me instalar em uma barraca do serviço de praia, um cãozinho preto apareceu ao meu lado e  ficou. Em seguida apareceu um funcionário da segurança pilotando uma potente moto, munida de frontolux em plena luz do dia, querendo saber se o cão era meu, alegando que alguém de um apartamento com vista para a praia havia ligado e feito uma reclamação, e mais, que alguém estava alimentando os pombos. No caso eu. Isso eu costumo fazer e sem a menor dúvida, vou continuar fazendo.

Pergunto: o que  essa gentalha encastelada em apartamentos, muitos deles comprados com dinheiro roubado, acha que é? Dona do mundo?  Alegam que animais transmitem doenças, como pode ser visto em muitas placas expostas em toda a orla da Riviera, mas desconhecem que o  animal que mais transmite doenças é o bicho homem. EXEMPLO; Aids, Blenorragia, HPV,  Sífilis, Sana, etc. e , por incrível que pareça, é o animal dito RACIONAL.

Na próxima semana estarei lá alimentando os pombos, com milho e os pardais com arroz, e se o cãozinho preto aparecer por lá terá um ótimo almoço. PRONTO. Isso a título de desafio a todas essas bestas humanas. Sou médico neurologista e neurocirurgião há 40 anos e nas horas vagas o meu hobby preferido é ler sobre infectologia. Falo com conhecimento de causa e sei que você não vai dividir seu prato com os pombos e pardais, nem deixar seu cão lamber sua boca. Não é verdade?

Humberto de Luna Freire Filho, médico

Facebookmail

20 ideias sobre “A ELITE SUJA DA RIVIERA DE SÃO LOURENÇO

  1. Dr. Humberto, O sr fala tem um ap no “jardim são lourenço” mas coloca a foto do portal da “Riviera de São Lourenço”.
    Eu também tenho uma residência na Riviera e não sabia que o Jardim São Lourenço está integrado na Riviera.
    De qualquer maneira, seu comentário vai na veia, pois também temos pequenos cães e não podemos nem passear no calçadão face as restrições impostas pelo condomínio.
    De outro lado, eles permitem a presença de vendedores de churros que emporcalham a praça ou de pessoas que vão passar um dia na praia e a usam como banheiros.
    Isso sim, transmite doenças.
    Aliás, há tempos não uso a água do mar.

    • Realmente Salvador, o Jardim São Lourenço não faz parte do complexo Riviera, mas o Condomínio Entre Mares tem praia em comum com o condomínio Riviera e foram os moradores do Riviera com vista para a praia, que chamaram a segurança para me inquerir pensado ser eu o dono do cão. Tentei conseguir com o funcionário o celular do reclamante mas não consegui. Ele(s) iria(m) ouvir umas boas, eu estava para qualquer coisa. Nunca fujo da raia.

  2. E Dr. Humberto,
    a arrogância é filha da ignorância. Não adianta essa corja ter sido bem treinada em estelionatos, mas sem nenhuma instrução e educação moral e cívica!

  3. Dr. Humberto, gostei de sua resposta aos “animais” que não gostam de cachorros. Eu faria a mesma coisa. Tenho cachorros desde de sempre, são nossos grandes amigos, nunca me transmitiram, nem aos meus filhos e netos nenhuma doença, muito pelo contrario só trouxeram alegrias. Quanto aos pombos e outras aves, são nosso encanto!
    Um grande abraço,
    Antonio Carlos Pereira

    • Vivemos no Brasil a típica ignorância do quarto mundo. Conheço as praças da Europa (Paris, Roma, Moscou, Berlim), sempre cheias de pombos, enquanto as crianças se divertem com eles e lhes dão comida.

  4. Lamentável que o prezado amigo alimente e continuará a alimentar pombos e pardas na orla (qualquer que ela seja pois os pombos como voce certamente sabe podem desr transmissores de doençca. O mesmo acontece aqui no centro de nossa Capital, mais especificamente na Praça do Patriarca, onde os pombos contribuem ainda mais com a sujeira do local, e onde diariamente as pessoas insistem em alimentar essas aves, que serviam de alimentos aos europeus ou de correio, aí, sim, de alguma utilidade. Não tenho apartamento ou casa na Riviera,, lugar que o amigo classifica como ninho de corruptos.
    Pannunzio

    • Pannunzio, não concordo com sua opinião. As maiores praças da Europa e da Rússia, conheço pelo menso 6 delas, estão chaias de pombos e são em países de primeiro mundo. Aproveito para lançar um desafio a qualquer médico e ou, veterinário, para me apontar um animal que não transmita doenças, tudo depende de como você os trate. O pior dos bicos, o dito racional, transmitem doença mesmo consciente de que a tem. Essa mentalidade tacanha é coisa de quarto mundo, império da ignorância, de ladrões e corruptos. Quanto a Riveiera, eu não generalizei. Tenho inclusive amigos lá que manteem residência fixa e são pessoas com dignidade

  5. Caro Doutor Freire
    Conheço os pombos europeus, não os russos e ja sofri “presentes” que me foram agraciados por eles na Piazza San Marco.Sinceramente não sei para que servem. Pombos são como os pardais animais silvestres que buscam por conta própria seus alimentos na natureza. Alimentá-los creio que seja somente uma prática para satisfazer o ego de pessoas que os querem manter escravizados através da alimentação fácil que distribuem.

    • Pannunzio, meu ego eu satisfiz em muitas ocasiões, quando residente de neurocirurgia no Hospital Souza Aguiar no Rio de Janeiro, e recebia um acidentado com traumatismo craniano, na maioria das vezes, gente humilde. Eu o operava, drenava possíveis hematomas intracranianos, reconstituia sua caixa craniana e algum tempo depois eles retornavam para me agradecer. Te confesso qua não é alimentando animais que satiafaço meu ego, isso eu faço apenas por prazer…e eles merecem!!!

  6. Caro conterrâneo,
    Eu tenho o privilégio de ser assistido em meu rancho por uma equipe fenomenal de veterinários e biólogos da Universidade de Darwin onde atuam cientistas de renome mundial. É que eu firmei um convênio com a Universidade que permite a mesma utilizar meu rancho como campo de treinamento prático para seus alunos e em troca recebo dela a assistência veterinária necessária, numa troca de chumbo muito vantajosa para ambos os lados. Este convênio é um dos principais responsáveis pelo sucesso do meu negócio, além de me proporcionar um amplo aprendizado sobre o reino animal em geral. Fiquei sabendo, por exemplo, que cada espécie animal é dotado de um sistema imunológico programado para as suas necessidades. Assim, quanto mais vulnerável é o bicho em função de seus hábitos, mais eficiente é o seu sistema imunológico. E se não fosse assim, como não dispõem dos meios científicos à disposição dos humanos, morreriam todos poucos dias depois de nascidos.
    Aprendi também que a maioria das doenças que acometem os animais domésticos são transmitidas por… nós, os escrotos humanos que nos julgamos os tais.
    Vou lhe contar o que me disse uma veterinária desse grupo. Ela ficou encantada com um gato Le Hua que a minha enteada cria e sempre que vai lá em casa passa o tempo com o bicho no colo, acariciando-o. Kika perguntou-lhe se gatos precisam tomar banho e ela respondeu que de jeito nenhum porque os gatos, como de resto outros animais como os cães, têm sua saliva enriquecida com uma substância que tem propriedades adstringentes que protegem o animal contra a maioria das doenças. É por isto, segundo ela, que gatos e cachorros gostam de se lamber e também lamber os amigos, até os humanos.
    Com estes comentários, transcrevo seu artigo abaixo de grande utilidade para os esclerosados mentais que não entendem nada sobre os animais e se julgam melhores que eles, como essa sua vizinha do Riviera São Lourenço.
    Na próxima vez, leve um bom pedaço de filé mignon para o cãosinho preto.
    Um abraço,
    Otacílio

  7. Pois é meu caro Otacílio, como existe gente ignorante e mal informada. No próximo fim de semana o cãozinho preto, se estiver por lá, irá saborear um suculento filé mignon.

  8. Humberto, tomara que esses moradores de Riviera de São Lourenço também se preocupem com os graves problemas que assolam o Brasil. Eu, particularmente, tenho um recipiente em minha casa, fixado no jardim, onde diariamente coloco mamão e banana, para felicidade dos passarinhos, entre eles pombos também. Não são esses pequenos animais que estão destruindo o Brasil, pelo contrário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *