ESTOU SENTINDO NOJO DO MEU PAÍS

Por Humberto de Luna Freire Filho   *deputado não reeleito é deputado preso*

Imagem relacionada
IMAGEM: Blogs e Colunas – Odiario

O Brasil de hoje, depois de 14 anos  tomado por quadrilhas, causa náuseas e vômitos em qualquer cidadão de bem. Os cargos públicos de primeiro e segundo escalões são ocupados por ladrões, o que até parece ser condição “sine que non” para que seja o escolhido do chefe. Quando sai um bandido da função por ter sido denunciado ou já está com o pé na cadeia, reacende a esperança da sociedade por algo melhor, mas volta à cena outro(a) bandido(a), e assim caminha o pobre Brasil.

Uma leva de corruptos acaba de sair do  poder Executivo e voltar para o poder Legislativo levando R$ 1,75 bilhão para financiar as suas sujas campanhas eleitorais na tentativa de permanecerem gigolôs dos pagadores de impostos. A quadrilha que servia à anta de dois neurônios não teve a mesma sorte, e com a surpresa do impeachment teve que se entocar. É o  caso de dois servidores do governo anterior: Aluízio Mercadante e José Eduardo Cardoso.

Esses dois ratos estão entocados, rindo da nossa cara e ninguém descobre onde estão. Dinheiro para eles não vai faltar, o butim é valioso, saquearam o Estado com aval do chefe para financiar um projeto  de perpetuação no poder. Só no BNDES, o TCU examina contratos suspeitos de financiamentos, que incluem países bolivarianos e ditaduras africanas, na escala de R$ 1,3 trilhão. É pouco? enquanto isso o jerico de Garanhuns, chefe da grande quadrilha, continua livre e destilando honestidade.

Se o Brasil fosse um país sério, onde existisse um poder Judiciário descompromissado com a podridão dos outros dois poderes, com magistrados escolhidos por meritocracia, vida ilibada e saber jurídico,  e nunca indicado por partidos  após conchavos políticos, e obedecendo viés ideológico, essa imoral parceria entre os três poderes, que desmoraliza a justiça,  jamais  chegaria aonde chegou, transformada em uma verdadeira quadrilha, para defender interesses inconfessáveis.

Para se ter um noção do que é a nossa Suprema Corte, basta analisar o currículo de seus digníssimos membros, por quem foram indicados e o nível de senado que os avalizou. Um senado que já foi presidido por políticos do nível de José Sarney, Jáder Barbalho, Renan Calheiros e Eunício de Oliveira, levando consequentemente a aberrações, onde os julgamentos  envolvendo parlamentares são políticos e não jurídicos. Vou citar alguns dos ministros  e usar como parâmetro para medir seus índices de  corrupção a sequência de seus nomes. Começando pelos mais corrupto até chegarmos ao menos corrupto. Fiquem atentos.

Gilmar Ferreira Mendes, o grande campeão, o  medalha de ouro, indicado ministro pelo boca mole Fernando Henrique Cardoso.  Sua esposa trabalha no escritório de Sérgio Bermudes, defensor de Eike Batista. Sabe quem mandou soltar Eike Batista? O próprio. Não vou enumerar todos os endinheirados que ele mandou para a rua, a lista é extensa. Defensor da Lei de Abuso de Autoridade e da legalização do Caixa Dois. Atualmente, passou a ser rato do Palácio do Planalto e é um defensor incondicional do mordomo da Transilvânia. Se brincar, manda matar o juiz Sérgio Moro.

Dias Tóffoli, o vice-campeão, o medalha de prata, indicado por Luiz Inácio Lula da Silva, líder da maior quadrilha que já surgiu na face da terra, a quadrilha petista. Advogou para o Partido dos Trabalhadores (PT), além de assessor do corrupto José Dirceu.  É de um extraordinário saber juridico, mas infelizmente foi reprovado duas vezes em concurso prestado  para o cargo de juiz do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Tendo sido assessor de José Dirceu, dá para imaginar quem o mandou para a rua? o próprio. Essa caricatura de ministro da suprema Corte está envolvido em muito mais falcatruas.

Ricardo Lewandowski, o terceiro colocado, medalha de bronze,  indicado ministro pelo mesmo salafrário, líder da quadrilha petista.  Antes disso, foi secretário da Prefeitura de São Bernardo do Campo. A mamãe do fulano era amiga pessoal, comadre talvez, da esposa do jerico. Esse ministro  ocupa o terceiro lugar na escala dos corruptos do STF. Ao invés de defender a Constituição, com seria a sua obrigação, durante o julgamento do impeachment da anta mineira,  quando presidiu a seção do congresso, pisou na  Constituição criando uma situação em que a ex não ficaria impedida de exercer cargos públicos, só perderia  o mandato de presidente da República. Existe também uma escabrosa história de que ele sumiu com provas que comprometeriam o jerico e José Dirceu.

Marco Aurélio de Mello, esse ocupa o quarto lugar, indicado ministro pelo não menos corrupto, Fernando Collor de Mello, seu primo. Antes era funcionário do Tribunal Regional Federal da 2ª Região. Tem por hobby absolver bandidos. O goleiro Bruno foi um dos que ele tirou da cadeia, e só para lembrar na sua última sentença absolveu o cheirador de pó Aécio Neves. Em 2014, teve a alegria de ver sua filha indicada para desembargadora no Tribunal Regional Federal da 2ª Região, por ato da anta mineira. Parece que a partir daí ficou de rabo preso com o Partido dos Trabalhadores (PT). Também não pode ver os refletores de TV que corre para a frente. Cuidado ministro, o clarão pode ser um raio.

Luiz Fux, esse ocupa o quinto lugar. Mais uma indicação do líder da quadrilha petista, Lula da Silva. Antes de sua indicação para o cargo de ministro, reuniu-se com José Dirceu para dizer que “mataria no peito” o julgamento do mensalão. Melhor amigo do presidiário Sérgio Cabral, que pediu para Pezão indicar sua filha para desembargadora  do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Também tem um destaque especial no mensalão quando ajudou a livrar o jerico das investigações.

Luiz  Edson Fachin ocupa o sexto lugar, indicado ministro pela anta mineira. Ex lprocurador do Estado do Paraná ao mesmo tempo em que exercia a advocacia privada. Foi advogado do Movimento dos Sem Terra (MST). Foi cabo eleitoral da anta. Como professor da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Paraná participou da criação de turma especial para a quadrilha do MST. Como se trudo isso não bastasse, sua filha, advogada da empresa estatal Itaipu, já foi condenada por litigância de má-fé pelo próprio STF.

Não vou mais citar os 5 restantes, Vou dar um  voto de confiança para que todos ajudem na moralização da nossa Suprema  Corte pedindo  demissão de seus cargos. A Moral , a Ética, a Justiça e o Brasil agradecem.

Humberto de Luna Freire Filho, médico – Cidadão brasileiro sem medo de corruptos.

Facebookmail

6 ideias sobre “ESTOU SENTINDO NOJO DO MEU PAÍS

  1. Que tristeza tudo isso. Estamos cercados de governantes, magistrados, deputados, senadores e o escambau de gente sem linha, sem ética, sem capacidade, sem moral, sem nada que de mérito ao cargo que exercem… eis o retrato do País, a casa da mãe Joana onde se prega as maiores ilicitudes jamais julgadas e perpetradas na maior cara de pau por essa gentalha desinibida para botar as mãos em dinheiro que não são seus…O pior é que tais figuras não desaparecem, atrás deles vem a família toda numa rapidez para não perderem a boquinha e continuarem nos ilícitos….e assim nada muda e continuamos sem sair do lugar ou pelo menos esperança em vislumbrar alguma luz no fim do buraco onde o Brasil se meteu…

  2. Dr. o Brasil não tem saída infelizmente não vai ser nessa eleição que não vamos resolver os nossos problemas, os candidatos não oferecem confiança, e ainda estamos arriscados ver um paraquedista levar esta eleição, e essa historia nos já aconteceu quando o Collor foi eleito, com relação a câmara e congresso, tudo permanecera como esta, os caciques permaneceram e nos vamos continuar assistindo essa baderna em que virou o Pais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *