A ONU TAMBÉM TEM MEDO DE BOLSONARO?

Por Humberto de Luna Freire Filho   *1/3 dos senadores se não reeleitos irão para a cadeia*

SEDE DA ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS – NOVA YORKImagem relacionada
IMAGEM: panorama.com.vr

A Organização da Nações Unidas (ONU), a maior entidade internacional, responsável por promover e  zelar pela paz mundial, declarou que está preocupada com a ascensão do candidato Jair Bolsonaro. Verdade? Esse antro de corruptos captados pela esquerda internacional, deveria estar preocupado com a trágica situação na Venezuela, da Nicarágua e por que não também com a de Cuba? Países esses onde direitos humanos há muito não existem.

A hipocrisia e a pouca vergonha tomaram conta dessa entidade faz tempo. Já foi uma entidade séria. Certo fez  Donald Trump, presidente dos Estado Unidos, ao cortar os  250 milhões de dólares que o contribuinte americano  repassava para essa  organização anualmente. Espero que seja o inicio da falência dessa confraria, que atualmente para nada serve. Essa organização se concentra na burocracia e não tem foco em resultados.  O candidato Jair Bolsonaro já avisou que se eleito, a ONU aqui não apita, espero também que meu imposto não contribua para a manutenção desse muquifo. 

Humberto de Luna Freire Filho, médico – Cidadão brasileiro sem medo de corruptos

Facebookmail

8 ideias sobre “A ONU TAMBÉM TEM MEDO DE BOLSONARO?

  1. Na verdade a culpa dessa interferência da ONU no Brasil se deve ao partideco dos bandidos não assumidos chamado PT, que inventou tudo quando recorreu a mesma para defender Lula como preso politico, tudo não passa de uma armação proposital para manter o nome do verme em evidencia afim de não ser esquecido e ser votado mesmo fora do páreo..uma intenção criminosa descabida e perversa e perigosa. Incrível como esse Partido com grande força monetária dado ao que roubou possa estar levando a cabo todas as suas descabidas argumentações para livrar a cara do pinguço e tumultuar o processo eleitoral. Confundir, difamar, distorcer , mentir são seus verbos preferidos e o pior grande parte da população acredita!!! Estou esgotada!!!

  2. O ministro Edson Fachin, único voto a favor do presidiário, mais uma vez mostrou que não está a altura de ser ministro. Quanto à ONU é uma entidade covarde que só palpite onde não precisa e fez bem Donald Trump em cortar a verba que os Estados Unidos forneciam e espero que o Bolsonaro, sendo eleito, corte também a contribuição do Brasil. Agora, os petralhas não se pejam em mentir, pois somente 2 dos 18 membros votaram a favor do inominável! Com isto fizeram tanto alarde apesar de um desmentido da entidade.

    • Esse intervenção em assuntos internos do Brasil me forçou colar, ontem mesmo, um outo texto sobre a “confraria” ONU que está com medo de Bolsonaro.

  3. Verdade, a ONU virou uma sucursal da esquerda mundial. Li dias desses que os Estados Unidos se retiraram de uma entidade das Nações Humanas voltada para os direitos humanos. Alegou acertadamente a representante americana que seu país não vê nenhuma razão para integrar um órgão que cede lugar de destaque na sua direção para membros de Cuba e Venezuela, dois dos países que mais violam os direitos humanos no mundo. Bem fez os Estados Unidos. Os Estados Unidos, ao contrário do Brasil, não é um anão diplomático. Ainda hoje li no Estadão que o os países do chamado Grupo de Lima queriam passar um sabão na Venezuela, que insiste em massacrar seu povo com essa bobagem do Socialismo do Século XXI. Só que o Brasil, cuja chancelaria é comandada pelo ex-motorista do terrorista Carlos Marighela, preferiu ficar em silêncio. Acho que o Itamarati está com saudades do tempo em que era comandado por Celso Amorim, que hoje vive visitando o Lula em Curitiba. Esse sim, deve ter medo de Bolsonaro presidente. Tenho certeza de que o Itamarati de um eventual governo Bolsonaro será muito diferente. Países-párias como Cuba, Venezuela, Irã, devem ser colocados em seus devidos lugares: na lata do lixo diplomático. Claro, enquanto insistirem em negar a seus povos a liberdade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *