ONDE FICOU A VERGONHA DO JORNAL E DA JORNALISTA?

Por Humberto de Luna Freire Filho

Resultado de imagem para imagem para a imprensa marrom
IMAGEM: Portal O Dia

Resultado de imagem para imagem para a imprensa marrom
IMAGEM: Rota 51
Resultado de imagem para imagem para eliane cantanhêde
IMAGEM: BNC Amazonas

Hoje, terça feira 30/04, o jornal O Estado de São Paulo publica em sua PÁG. A6, com direito a chamada de primeira página, um artigo da jornalista Eliane Cantanhêde sob o titulo “Vai dar o que falar”. Realmente, vai sim , depois que  lermos e analisarmos esse texto tendencioso e de pouca vergonha, que tenta confundir as coisas e que ao mesmo tempo  chama o cidadão brasileiro minimamente esclarecido de  idiota.

Dona Cantanhêde, será que o salário compensa? Olha que a história do jornalismo não se resume a um mês ou a um ano. Segundo seu “raciocínio”, Bolsonaro quando fez um comentário sobre o preço do Diesel torrou bilhões da Petrobras, verdade? Você acredita nisso? A oscilação do valor de uma empresa em bolsa varia para mais ou para menos em qualquer situação de mercado e dá lucro para um lado ou para o outro. O ROUBO NÃO!!!

Quem torrou (roubou) bilhões da Petrobras foi o presidiário Luiz Inácio Lula da Silva, líder da esquerda podre que lhe paga para defendê-lo. Não para por ai. Você agora critica o pronunciamento do governo sobre os juros do Banco do Brasil, e diz que as ações do  banco sofreram com o pronunciamento. Você esqueceu de falar sobre as ações do banco quando Aldemir Bendine, sem armas na mão, e da própria sala da presidência, roubava o banco. Por que?

E para completar a minha crítica ao seu blá blá blá, quero falar sobre outro pronunciamento que foi feito no Agrishow, quando  Bolsonaro disse que iria enviar ao Congresso uma proposta para isentar de punição o produtor rural que atirar em um invasor de sua propriedade. Isso significou em seu julgamento uma licença para matar, não é verdade? Para mim não é licença para matar. Está na Constituição, é um direto do cidadão defender sua vida, a de sua família e o seu patrimônio.

Dona Cantanhêde, confesso que não consegui ler até o final sua entediante narrativa e, repito, não continue ininterruptamente chamando os brasileiros de idiotas, pare de escrever merda. Nós precisamos de jornalismo e não de doutrinação, já chega os nossos ouvidos serem transformados em penico pela GLOBOLIXO. Não suje ainda  mais as páginas desse jornal. Falo na condição de assinante há 30 anos.

Ah! não dá para deixar passar em branco  uma pergunta, que creio que a grande maioria dos brasileiros lhe faria: qual o  mal em contratar um agrônomo para o ministério da Agricultura? Um médico para o ministério da Saúde?  Um  advogado para o ministério da Justiça? Um  engenheiro para o ministério dos Transportes?  Um militar para o ministério da Defesa? Tenha dó, vamos parar com tantas idiotices e mal caratismo. Não menospreze a nossa inteligência.

Humberto de Luna Freire Filho, médico – Cidadão brasileiro sem medo e sem dever favores a  pseudos jornalistas.

Facebookmail

20 ideias sobre “ONDE FICOU A VERGONHA DO JORNAL E DA JORNALISTA?

  1. Meu caro Humberto de Luna Freire Filho, a Rede Globo está colhendo o que plantou: perdendo a credibilidade e a hegemonia pelo mal jornalismo praticado. Eu era assinante do jornal O Globo, quando, li o Editorial sujo “Desvario e Insensatez”, que causou-me grande revolta e indignação:

    Um pequeno trecho daquele Editorial:
    “É de grande inconsistência técnica a concessão de aumentos reais acima da inflação, a aposentados, já fora da força de trabalho, sem contribuir para a economia com a sua produção”. E, mais adiante, conclui, irresponsavelmente:
    Ou seja, o Brasil paga benefícios como se a sua população fosse mais idosa do que é. Tradução: se nada for feito, o simples envelhecimento vegetativo dos brasileiros implodirá o INSS. Se a demagogia vingar no Congresso e fora dele, a falência virá ainda mais cedo”.

    Resultado: Cancelei de modo firme e irreversível a minha antiga assinatura.
    Almir Papalardo.

    • Almir, não é sem motivo que o pessoal sério da área jornalista desse conglomerado está pedindo desligamento, Alexandre Garcia, Willian Waack e outros. A GLOBOLIXO, a VEJALIXO e a FOLHALIXO há muito joguei na latrina e dei descarga. Ainda mantenho a assinatura do jornal O Estado de São Paulo, leio algumas folhas e com as outras forro o poleiro de meu papagaio.

  2. Ah! não dá para deixar passar em branco uma pergunta, que creio que a grande maioria dos brasileiros lhe faria: qual o mal em contratar um agrônomo para o ministério da Agricultura? Um médico para o ministério da Saúde? Um advogado para o ministério da Justiça? Um engenheiro para o ministério dos Transportes? Um militar para o ministério da Defesa? Tenha dó, vamos parar com tantas idiotices e mal caratismo. Não menospreze a nossa inteligência. Para os jornais: TV ou Impresso, etc. QUAL O PROBLEMA CONTRATARES JORNALISTAS, PARA OS JORNAIS. (e nao o lixo que esta ai).

  3. A distorção dos fatos e o facciosismo é a grande pauta dessa gente, que se apresenta sempre como isenta – mas somente em relação aos desmandos de supostos líderes podres ou ” maduros “. Nunca se posicionam contra os que dizimam populações , por fome , desassistencia, ou por simples assassinato, mas estão sempre voltados contra os que lutam por um país honesto. Um espirro, uma bobagem qualquer, que se origine nos petralhas é tido como coisa engraçada e do quotidiano, ms nunca dos que lhes combate.

    • Lfayette, se tudo isso fosse por ideologia, ainda seria possível entender, mas, não passa de interesses sujos, pessoais ou do grupos.

  4. Humberto, gostei do poleiro do seu papagaio.
    Fiz o desligamento do Jornal o Globo por não acreditar mais nas matérias tendenciosas.
    Parabéns mais uma vez pelas verdades aqui escritas.Eles estão perdendo espaço a cada dia. Nunca vi tanta idiotice junta.
    Abraços.

  5. Essa criatura entre outras jornalistas da Rede Grobro hoje vulgarmente chamada de LIXO estão mal acostumados, ha anos fazem essa má politica de chamarem a si a verdade fruto dos seus imaginários parciais e em assim sendo criaram a imprensa marrom destituída de um minimo de ética e moralidade ..são poucos os jornalistas hoje que são dotados de responsabilidade e de conhecimentos técnicos pra redigir certas matérias e porque que não dizer de uma boa formação profissional muito aquém em nossas Faculdades hoje em dia..resta-nos ler ainda o que existe nos jornalistas antigos como os citados acima, para se ter uma informação desligada de ideologias infames.

    • Os únicos que realmente podemos chamar de jornalistas estão se deligando dos grandes conglomerados. Como exemplo cito, Alexandre Garcia e Willin Waack e outros que no momento não me recordo. Está sobrando lixo nas redações.

  6. Essa senhora quando começou no jornalismo prometia um futuro brilhante. Deu nisso! Mais uma pena paga da imprensa brasileira.
    Hoje parece ser mais uma daquelas pessoas que insistem no chavão de que a Bolsa reflete a economia do País.
    Ora, quantas vezes vi a economia quase parando, andando para traz, desemprego em alta, etc. e a Bolsa de vento em popa. Menos Da. Eliane! Menos! A Bolsa reflete apenas a esperança de ganhos dos que nela investem, ou melhor, apostam.
    E será que a senhora pensa que quem aposta na Bolsa, aposta dinheiro que vai fazer falta em casa no fim do mês? Pessoas que ganham salário mínimo? Ora, Da. Eliane, quem aposta na Bolsa aposta para ganhar mais do que nas aplicações de renda fixa. Aposta dinheiro que quando muito pode comprometer o estoque de Johnnie Walker de sua adega. Apenas isso.
    Menos revanchismo e mais imparcialidade, Da. Eliane!

  7. Humberto, essa catanhede me causa tanto nojo, pelo sua insistência em defefender o indefensável, em repicar mentiras e interpretações idiotas da verdade, que não leio nada do que escreve e não escuto nada do que expele pela boca!
    É o protótipo dos ditos “jornalistas” de mau…ou melhor, de péssimo caráter!
    Mal posso esperar para vê-los todos pelas costas!
    Abraço pra,você, guerreiro incansável e implacável!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *