O STF OFICIAL E O STF EXTRAOFICIAL

VOCÊ SABE O QUE É ISSO? EU EXPLICOResultado de imagem para IMAGEM PARA O PLENÁRIO DO STFIMAGEM: STF

Oficialmente, é a instância máxima  do poder judiciário do país. Sempre que existe uma questão controversa acontecendo, seja em algum ato tomado pela Câmara, pelo Senado ou pelo poder Executivo, o Supremo Tribunal Federal entra em cena. E sendo  a instância máxima do Judiciário não cabe recurso às suas decisões. É composto por 11 ministros de “Notório saber jurídico e “Reputação ilibada. Julga entre outras coisas, Ações diretas de inconstitucionalidade e Ações declaratórias de inconstitucionalidade.

Extraoficialmente, é a bancada de advogados do poder monetário do país. Sempre que existe um bandido endinheirado oriundo da Câmara, do Senado ou do poder Executivo, a bancada entra em cena e sendo a instância máxima da corrupção não cabem recursos às suas decisões. É composta por 11 advogados de notório apadrinhamento político e reputação duvidosa. Julga entre outras coisas ações diretas de presidiários e ações de roubo institucionalizado.

Na condição de cidadão brasileiro e usando meu constitucional direito de livre pensamento e expressão, confesso que estou extremamente impressionado e até sinto inveja da reputação ilibada do nosso querido ministro Gilmar Mendes, maldosamente chamado de vendedor de HC, e que ainda o chamam de anti-patriota porque ao invés de investir seus honestos rendimentos, no nosso país, investe em Portugal. Maldade!!!

Também sinto inveja do notório saber jurídico de que é possuidor o atual presidente da Casa, o grande ministro Dias Toffoli, que o diga o presidiário José Dirceu e o também presidiário Luiz Inácio Lula da Silva. Ele está sendo injustamente criticado por alguns setores que não conhecem a grandeza de seu currículo e estão chamando-o de estagiário da corte. Ele nunca erra, acerta todas, até nos sonolentos plantões de final de semana dá sua certeira canetada.

E por último, Ricardo Lewandowski, outro criticado por pura inveja. Certa vez,  por mero descuido, presidindo uma sessão do Senado, a que cassou o gênio Dilma Rousseff, ele sentou sobre a constituição pensando que ainda estava no barzinho de São Bernardo do Campo, aliás o mesmo barzinho onde foi escolhido ministro durante uma rodada de frango com polenta e muita cachaça patrocinada pelo jerico de Garanhuns. Coitado ele é vitima de pessoas de má fé.

Humberto de Luna Freire Filho, médico – Cidadão brasileiro sem medo de corruptos

Facebookmail

10 ideias sobre “O STF OFICIAL E O STF EXTRAOFICIAL

  1. Não ha mais o que dizer a respeito desta Corte de urubus, uma casa de descarados que legisla atropelando o Poder Legislativo, na maior desfaçatez. Até quando eles vao fazendo o que querem? O grave problema é que eles nao se atem ao que deve ser feito naquela casa de horrores, defender a CF…agora virou uma casa politica e o mal do nosso Brasil e judicializar tudo recorrendo a essa casa maldita onde 11 bandidos de toga resolvem por decisões duvidosas axincalhar o Poder Judiciario através de chicanas e criar confusão e instabilidade juridica…Gilmar Mendes é o supra sumo da canalhice e ja deveria ter sido cassado ha muito tempo. Um desgraçado que deve ter cidadania em Portugal , pois vive la, nao dando a minima para o Brasil onde debocha de todos nós na sua arrogancia contumaz!! Que pena que nao levou o tiro nas fuças que merecia!!!

  2. Muito bem colocado, Humberto. O Brasil deveria ter apenas o STF oficial. Infelizmente o STF de fato, o que existe na prática, é a corte do advogado do PT, a corte do amigo das rodadas de polenta de São Bernardo, e a do fazendeiro do Mato Grosso, para não me estender muito. Num momento de rara lucidez, um dos seus ministros, Marco Aurélio Mello, abriu o jogo e disse: o que o STF está fazendo com essas recentes “invenções” legislativas é proteger os tubarões da política e do empresariado do Brasil. Não é proteger o dono do botequim, o vendedor de pipoca. Mas, Humberto, reafirmo o que já disse várias vezes aqui: Os brasileiros de bem, nos quais me incluo, bem como você, fomos todos negligentes. Achávamos que com o fim do regime militar, devolvido o poder aos civis, a democracia brasileira seguiria em direção a um futuro pródigo. E não foi isso o que ocorreu. O poder foi devolvido sim aos civis. Mas à pior parcela da população. À esquerda, ávida de chegar ao poder, e consumar suas utopias. E aos políticos sem nenhuma ideologia, apenas com intenção de ficarem ricos às custas do povo. A esquerda, ao chegar ao poder, entendeu que o modo mais fácil de atingir seus objetivos era leiloar as estatais, distribuindo cargos aos partidos aliados, “comprando a tudo e a todos”. Depois, visando a perpetuação no poder, chamou para junto de si os pesos-pesados do empresariado brasileiro, distribuindo-lhes polpudas obras públicas, no Brasil e no exterior, com preços superfaturados, garantindo assim vultosas contribuições em campanhas eleitorais. A receita para o maior sistema de corrupção da humanidade estava em andamento. Só foi interrompida devido ao intrépido grupo de policiais, promotores, auditores fiscais, que deram partida à chamada Operação Lava-Jato. O resto todos sabemos. Os danos decorrentes da era PT, como sabemos, foram devastadores para o Brasil. Estamos apenas no início do saneamento da estrutura estatal destroçada pela era PT. Continuo achando que a solução dos nossos problemas passa pelo ingresso na política de gente de bem. Falta gente de bem no STF, no Congresso, nas Assembleias Legislativas dos estados, nas Câmaras Municipais, e também na administração pública. Por isso sugiro que você, Humberto, reflita nesse sentido, pois teria meu apoio para uma investida num cargo político. Precisamos de gente como você. A pior coisa que poderia acontecer para os objetivos da esquerda e dos políticos que só pensam em seus próprios umbigos, é o ingresso contínuo de gente de bem na política. Hora chegará em que políticos como Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre, Renan Calheiros, e outros, não mais terão lugar no Congresso. Mas para isso é preciso que as pessoas de bem tenham a coragem de assumir tais postos.

    • Abel, sobre uma suprema corte que tem um Gilmar Mendes, um Ricardo Lewandowskie e um Dias Toffoli, não precisa dizer mais nada. Sobram três ou quatro que poderiam até ser chamados de ministro além de um que vez por outra, apesar da triste descendência nos surpreende, Marco Aurélio de Mello. Ah! quanto a cargo político te garanto que eu seria o parlamentar, em toda a história do Brasil, com menos dias de mandato. Após o meu primeiro discurso em plenário seria levada à Comissão de Ética e cassado por unanimidade kkk.

      • Brincadeiras à parte, Humberto, mas minha observação tem um fundo de seriedade, pois o que o Brasil mais precisa é de gente séria, honesta, e é no meio político-partidário que essa carência mais custa caro ao país. Nossas gerações entregaram de bandeja a atividade política para os piores brasileiros, e deu no que deu. Há muito tempo isso ocorre, mas foi nos governos petistas que os danos foram maiores. Por muito pouco, Humberto, não nos transformamos numa Venezuela tropical. Roubalheira sem fim nas estatais, nos fundos de pensão, aparelhamento da máquina pública, incluindo-se aí poder judiciário, ministério público, das universidades, das redações dos principais jornais. Enfim, o país sofre as consequências da ação nefasta desses personagens, sendo que muitos deles ainda se encontram agindo contra os melhores interesses do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *