AL CAPONE, APRENDIZ DE FEITICEIRO

Por Humberto de Luna Freire Filho

UMA QUADRILHA DE FAZER INVEJA A AL CAPONE

IMAGEM: Jornal da Cidade ONLINE

Tanto o relatório final da CPI do BNDES, como a publicação completa da delação premiada de Antônio Palocci,  não deixam dúvidas sobre a excepcional quadrilha montada pelo PT em seus 16 anos de reinado. Uma organização criminosa de fazer inveja ao coitado do Al Capone, um verdadeiro aprendiz de feiticeiro. Vamos ao que acontecia na terra Tupiniquim sob o comando de dois corruptos presidentes

As muitas facções da organização criminosa eram compostas pelos banqueiros donos dos seguintes bancos: BTG Pactual, Banco do Brasil, Bradesco, Itaú, Safra e Santander. Eu lembro que desse último chiqueiro, o jerico de Garanahuns escolhia até seus dirigentes. Tem mais, vamos em frente, Saindo da esfera dos agiotas oficiais vamos para  o terreno dos ditos empresários, na verdade gigolôs dos cofres públicos.

Esses dirigiam as seguintes “empresas”, Odebrecth, OAS, Camargo Correia e outras. Eram encarregados de financiar o preenchimento do poder Legislativo e o poder Judiciário com tudo  aquilo que é  de mais podre e dispensável para a sociedade, mas que lhes era de extrema  utilidade. Dá para avaliar o que existe ainda hoje dentro do Congresso Nacional, e dentro da nossa dita Suprema Corte, um bando de ladrões, de corruptos e na melhor das hipóteses de incompetentes.

Sou um cidadão que acredita em uma democracia representativa, com um Legislativo atuando dentro de princípios morais, de um poder Judiciário que não seja uma bancada de advogado de bandidos, mas a cada dia vejo que tudo isso é utopia. A solução a essa altura só será resolvida pela força, infelizmente. Na verdade o que esperar de um Congresso onde 80% de seus membros são bandidos e um STF que abriga os Gilmar Mendes da vida?

O país está desmoralizado e a cada dia expõe essa realidade para o mundo. Agora há pouco li que o picareta que preside o STF, entre outros que emporcalham a Câmara e o Senado, fará parte da comitiva brasileira que estará presente no Vaticano por ocasião da canonização da irmã Dulce. Confesso que  sinto dó da coitada, não merecia isso, infelizmente a essa altura ela passará a ser reconhecida mundialmente como a santa padroeira, protetora de CORRUPTOS.

ELA NÃO MERECIA ESSES CORRUPTOS POR OCASIÃO DE SUA CANONIZAÇÃOResultado de imagem para imagem para irmã dulce
IMAGEM: GaúchaZH

Humberto de Luna Freire Filho, médico – Cidadão brasileiro sem medo de corruptos

Facebookmail

8 ideias sobre “AL CAPONE, APRENDIZ DE FEITICEIRO

  1. Lamentável, meu caro Watson, lamentável e vergonhoso diria Sherlock Holmes para o seu ajudante…realmente, a hipocrisia tomou conta desse Pais que a meu ver a cada dia está pior e descnedo ladeira abaixo e por que?
    Simplesmente, porque 80% dos nossos deputados e senadores são bandidos. Diria mais, em cada Casa Legislativa mais ou menos 50% são investigados em processos na Justiça e o Sr. foi até muito bondoso em dar o percentual que deu…Estou indignada com a insanidade que rege este Brasil quando vejo a desmoralização das nossas Instituições nas mãos de pessoas hipócritas, mal preparadas e sobretudo legislando sempre em causa propria sempre que possivel, assim como um judiciário podre que solta bandidos e sem a mínima postura profissional cabível e em mais de um Poder hoje desacreditados pela população brasileira, impossivel que alguem possa conviver com isso sem ter nauseas e muita dor de barriga!!! Lamentavel meu caro Luna!!! Lamentável!!

  2. Caro Luna,

    Tomo a liberdade de escrever aqui artigo recebido por um amigo e que acho devo distribuir a todos que escrevem ou leem a sua coluna (blog) como uma grande verdade e passível de reflexão, talvez uma justficativa de sentir como nos sentimos hoje tão derrotados , apreensivos tristes pelos rumos que o nosso Pais está indo!!!!!! Escrito por um médico de Porto Alegre.

    O desencanto de não mais acreditar

    A Justiça encolheu aos olhos do seu povo quando abandonou, em causa própria, a nobre missão de defender os dignos e jamais acobertar os canalhas.

    Pessoas que trabalham com as palavras podem usá-las de maneira dúbia, de modo a confundir o incauto leitor, que pode ouvir opiniões diversas e achar que é tudo a mesma coisa. O jornalista isento é aquele que leva a informação mais completa e sem contaminação, para que o receptor formule a sua opinião, amparado nas ideias prévias que ele tenha sobre o assunto. Enquanto isso, o jornalista comprometido com uma causa não resiste à tentação de aproveitar a oportunidade (a tal que faz o criminoso) de plantar nos espíritos ingênuos as sementes das suas próprias crenças. Com este tipo de autor, em geral, antes de terminar o primeiro parágrafo, já é possível perceber o seu viés ideológico, que, independentemente de ser de direita ou esquerda, conta para prosperar com a baixa capacidade intelectual do leitor. Com a grande imprensa ignorando o rumor crescente das redes sociais, resta a impressão de que o mundo real está dividido entre o que convém acreditar e o que é mais prudente chamar de fake.

    Pois é nesse caldeirão que se cozinha a esperança do homem do povo, que deve pinçar o que acha que é verdadeiro para construir a sua própria convicção. O problema é que ele está exposto a uma doutrinação subliminar contínua, e assim, depois de um tempo, em que frases de efeito ficaram reverberando no seu cérebro adestrável, sem perceber, ele passa da apática posição de espectador à condição de militante convicto.

    Para melhor alcançar o objetivo deste patrulhamento mental, esses arautos da realidade questionável apelam à tática consagrada da repetição de chavões eivados de hipocrisia, e sempre aos gritos, como se a verdade definitiva estivesse dentro do casulo da surdez absoluta. E assim chega-se ao absurdo de devolver ao acusador, que encarcerou tantos ladrões defendidos pelos melhores advogados, a pecha de corrupto execrável. E tudo sem encabular, em nome de pretensa moralidade, como se a ética fosse um joguete que pudesse trocar de mãos, pela simples vontade dos que, sem ter argumentos inteligíveis, devolvem as acusações que não conseguiram refutar.

    Há algo mais constrangedor do que, não podendo negar as acusações, apegar-se à pobreza de argumentar que as provas foram tecnicamente contaminadas?

    Sem artifícios novos, porque até a criatividade da safadeza tem limite, repete-se a estratégia utilizada por Collor que, numa desfaçatez histórica, festejou quando o STF o “inocentou” – porque as provas tinham sido obtidas sem mandado judicial, lembram? Aliás, as acusações, todas irrefutáveis, continuam lá, intactas, arquivadas, à espera de um historiador isento que, ao lê-las no futuro remoto, sentirá vergonha da humilhação a que se submeteu um povo tolerante, que de tanto ser ignorado há muito se despira da reserva moral da indignação. Ou há algo mais constrangedor do que, não podendo negar as acusações, apegar-se à pobreza de argumentar que as provas foram tecnicamente contaminadas e esperar que alguém possa supor que isto é sinônimo de inocência?

    Para aumentar o desencanto, a Justiça, pretendida como última esperança, encolheu aos olhos do seu povo quando abandonou, em causa própria, a nobre missão de defender os dignos e jamais acobertar os canalhas. Pois este séquito de iniquidade é acompanhado com desvelo mentiroso por uma legião de formadores de opinião, que se dividem entre os cegos por conveniência e os muitos que estão interessados apenas em assegurar seus futuros individuais. E assim se constrói a nação dos cada um por si, onde nem Deus aguentará ser por todos.
    Uma coluna primorosa escrita pelo médico J.J. Camargo no jornal Zero Hora de 06/09/2019 !!! Bravo!!!!

  3. A bandidagem está sempre pronta pra um passeio! Beleza: primeira classe nos voos, melhores hotéis, restaurantes caros, 2 minutos pra aparecer nas fotos e uma semana pra passear pela Europa! E tudo isso pago por nós!!
    Enquanto isso o “seu” João, aqui em Campo Grande, continua podando árvores, há 4 anos com o tornozelo quebrado, esperando por uma cirurgia no SUS!
    Existem milhares de “seu João” Brasil afora!
    Mas nada atinge os bandidos dos 3 podres poderes!
    Mas acredito que a visão de uma guilhotina os comovesse!!

  4. Al Capone, Quércia e outros grandes fajutos já falecidos devem estar se remexendo nos túmulos e o pobre Maluf envergonhado de ser o maior corrupto em sua época de ouro rebaixado a um simples ladrão de galinhas na escala atual, sendo que ainda não foi aberta de tudo a Caixa de Pandora do BNDES. Quanto à presença do Toffoli na cerimônia de canonização da Irmã Dulce é um acinte à quase Santa. Uma tremenda afronta à pureza, bondade, honestidade da Freira que a todos encantou com sua simplicidade e dedicação aos pobres e sofredores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *