QUE MORAL TEM A ONU PARA CRITICAR O BRASIL?

Por Humberto de Luna Freire Filho

CHIQUEIRO DA PODRE ESQUERDA INTERNACIONAL
Geografia na Net: A polêmica sobre o símbolo da ONU
IMAGEM: Geografia na Net – blogger

Que moral tem a Organização das Nações Unidas (ONU) para fazer críticas ao Brasil? Existe um texto desse chiqueiro da esquerda internacional, publicado recentemente, alegando que nosso país viola o meio ambiente e ataca os direitos humanos. Não foi sem motivo que depois que essa instituição passou a ser, juntamente com sua subsidiária a Organização Mundial da Saúde (OMS), terreiro de interesses da  China, os EUA retiraram toda a ajuda financeira que sempre prestou à Organização  desde sua fundação.

O Brasil não precisa nem nunca precisou de ONU nem de OMS e muito menos da opinião de governos Europeus, que se dizem defensores do meio ambiente. Que moral tem certos países da Europa que destruíram as suas florestas? Que poluem os oceanos?. A França do presidente “pó de arroz” joga todos seus esgotos no Mar Mediterrâneo. A Alemanha destruiu suas florestas e hoje ainda fala para o mundo em sua Floresta Negra, um simples bosque . Já estive lá e me hospedei em  um hotel no interior da “grande”  floresta, que no dia seguinte cruzei em 15 minutos.

A essa altura está faltando a China começar a fazer críticas contra o Brasil. A maior poluidora dos oceanos com resíduos líquidos e sólidos, “plásticos” produzidos pelos seus um bilhão e duzentos milhões de habitantes. Resumindo, não conheço nenhum país da Europa ou da Ásia que tenha moral para dar pitacos na política de preservação ambiental que temos. Que cuidem de seus rabos para não perderem na linha do trem. Quem manda no Brasil são os brasileiros, princípio básico da nossa constituição.

ISSO NÃO É A COSTA BRASILEIRA NEM O ATLÂNTICO SULPoluição dos oceanos por plástico custa ao mundo US$2,5 trilhões por ano | Exame
IMAGEM: Exame

Humberto de Luna Freire Filho, médico – Cidadão brasileiro sem medo de corruptos

Facebookmail

28 ideias sobre “QUE MORAL TEM A ONU PARA CRITICAR O BRASIL?

  1. Humberto, mais uma vez sua manifestação foi coerente, precisa, didática. Aliás, em suas abalizadas colocações, você não fica nada a dever ao Guilherme Fiúza, que participa da equipe do Pingos nos Is, da Jovem Pan. Pra falar a verdade, só vim a conhecê-lo quando passou a integrar a tal equipe, junto com o brilhante Augusto Nunes (ex-Estadão dos áureos tempos), e José Maria Trindade, que, embora menos prolixo (no bom sentido, claro), também é muito coerente. Sem esquecer da excelente ex-jogadora de volei, que também integra a referida banca jornalística, cujo nome me esqueci agora. Mas voltando à tua coluna, que aborda a campanha anti-Brasil encampada pela outrora importante ONU, hoje um cabide de emprego de esquerdistas do mundo todo, é claro que tudo não passa de oportunismo, não só de governos esquerdistas da Europa e da América Latina, mas também dos poderosos grupos sindicais e empresariais desses países, que temem a pujança do agronegócio brasileiro. Como você bem ilustrou, a Europa devastou seu continente, envolvendo-se em duas guerras mundiais, no século passado, bem como derrubando suas florestas ao longo de sua história, suprindo suas necessidades de eletricidade, em boa parte, através de termelétricas à base de carvão, altamente poluente. Mas é claro, Humberto, não podemos nos esquecer que muitos de nossos detratores têm domicílio aqui no Brasil. São brasileiros que não querem o bem do Brasil. São brasileiros que gostam mais do vermelho do que do verde-amarelo. São brasileiros que sonham com uma América do Sul vermelha. Por isso o PT investiu bilhões do BNDES nos chamados “países amigos” , como Venezuela, Argentina, Bolívia, Equador, etc. Veja o caso desse bobão (permita minha irreverência para me referir a esse boquirroto), que adora falar mal do governo que pretende consertar o Brasil: criticou a vinda de Mike Pompeo, Secretário de Estado americano, que visitou Roraima semana passada. Claro que o gordinho insolente, que não teve nem 80.000 votos para a Câmara dos Deputados, quis agradar à turma da esquerda, que adora falar mal dos Estados Unidos. Aliás, a esquerda adora falar mal de tudo que dá certo, e adora falar bem de tudo que dá errado. Então, o gordinho insolente tinha que agradar de Lula a Renan (agora mui amigos). Mas o falastrão gordinho levou uma bordoada de Ernesto Araújo, que levou Botafogo nas cordas. Foi um gancho de direita bem no queixo de Botafogo. Nosso Ministro das Relações Exteriores saiu engrandecido com isso. Não deixou barato a insolência de Botafogo. Você viu a nota do Ernesto Araújo? Se não viu, peço que veja. Um primor!

    • Abel, eu ainda não li a nota do nosso ministro Ernesto Araujo. Li rapidamente o que foi dito pelo idiota e sem caráter que preside o puteiro Câmara, criticando Mike Pompeu e que até já recebeu apoio de, veja só, Celso Amorim, Francisco Rezek, Celso Lafer, Aloysio Nunes Ferreira, José Serra e para concluir da múmia que fala, FHC. A quadrilha que torce contra o Brasil é grande. Perderam as tetas.

      • Leia, que vale a pena. Ernesto Araújo fez uma manifestação dura, mas necessária, criticando não só Botafogo, mas também o seu antecessor no Itamaraty, o inexpressivo Celso Amorim.

  2. O problema que esses países têm contra o Brasil, é a inveja do que nós temos e que eles não têm e nunca terão. O pouco de florestas que eles tinham, foi destruído e agora, eles querem tomar a Amazônia de nós, o povo que eles consideram ignorantes, idiotas e que tais. Interesse na floresta (árvores e índios), eles não têm nenhum. O que eles querem é o que temos no sub-solo. São riquezas que valem trilhões de dólares. O que o Brasil precisa, é de massificar propagandas do que estamos fazendo para controlar os desmatamentos e as queimadas. É mostrar que 80% do bioma Amazônia, está protegido e destinado à preservação, representando 267,6 milhões de hectares, correspondentes a 63,7% do bioma. Ainda existem vegetações nativas em áreas de imóveis rurais não cadastrados e terras devolutas que somam: 85,7 milhões de hectares, ou 20,4% da área, totalizando 84,1% do bioma. O Código Florestal Brasileiro só permite explorar 20% da área de cada lote. Apenas 4% para explorar no futuro. A pecuária explorada no bioma, representa 12,8%, correspondente a 10,5% de pastagens plantadas, representando 44,9 milhões de hectares. 2,3% corresponde a 9,6 milhões de hectares de lavouras anuais perenes e semi-perenes. Dados indicam que cerca de 29,7% da área total ao longo da história, houve regeneração de vegetação nativa em graus variados. Segundo cálculos da Embrapa Territorial, são 9,5% de vegetação de floresta bem regenerada e 20,2% de vegetação de floresta secundária. De acordo com o PRODES, desde 1616, ano da fundação de Belém-PA, até 2018, o desmatamento foi de 708.301 km2, equivalente a 16,9% num período de 402 anos. Com a subtração de área de vegetação florestal, mais regeneradas, ainda são incluídas no cadastro de vegetação florestal, mais regeneradas, ainda são incluídas no cadastro de vegetação rural, na ordem de 3,1%. Este número cai para cerca de 13,8%. A área desmatada no bioma Amazônia, foi de 7.094 km2 em 2018, taxa anual inferior a 0,17%. A proteção e a preservação já estabelecida da vegetação nativa alcançam hoje 80% do bioma. Mesmo se essa taxa de desmatamento prosseguisse ininterruptamente, seriam necessários 572 anos para desmatar o bioma. Isso sem considerar a regeneração em curso. A Embrapa Territorial fez uma quantificação inédita da complexa ocupação do bioma: 534.261 imóveis, 677.596 estabelecimentos agropecuários (2,17%), confrontados com os lotes de 2.312 assentamentos (499.586 famílias). Isso permitiu identificar, quantificar, e referenciar geograficamente 1.007.724 produtores rurais. Destes, mais de 89%, são pequenos produtores. DADOS DA EMBRAPA TERRITORIAL.

    • Passos, agradeço por divulgar essa aula para mim e para os meus leitores. Essas quadrilhas financiadas pela podre esquerda internacional não desistem, mas vão perder.

  3. Caro Humberto,

    A moda agora é atingir o Brasil no que tange aos cuidados com a nossa Amazônia que eles dizem e julgam serem deles, já que destruíram as suas. Bolsonaro falou que poderíamos deixar de sermos membros da ONU e os motivos, sobejamente sabemos o porquê. Essa ONU não passa de mais uma Organização de dirigentes comunistas, assim como a OMS! Vi um interessante e verdadeiro vídeo numa entrevista com o Ministro Salles a esse respeito. Repasso a você e aos seus leitores, principalmente, aos mal informados prontos a mandar contra o nosso Presidente. Agora, somos acusados de desgoverno aos oportunistas que votaram nele e hoje são crentes das mentiras que o esquerdismo da nossa mídia faz questão de desmoralizar o Brasil e os membros do nosso governo no exterior, com falsas noticias e o exacerbado modo de aumentar e denigrir o modo como o governo vem tentando equacionar o problema das queimadas na Amazônia. Sempre houveram. A Amazônia não queima, é uma floresta úmida. Mesmo assim, querem nos convencer com este tipo de incoerência e seriedade ao desmentir a própria ciência da natureza. Por favor. Esquerda caviar e militontos destroem imagem do Brasil no exterior, diz Salles

    https://youtu.be/8rNsVDCh_iU

  4. Pouco importa, Sr. Luna, se a ONU tem ou não tem moral para criticar o Brasil. Seja a ONU, seja uma brasileira ou um brasileiro qualquer, o que vem ao caso é que no atual governo militar a destruição da Amazônia cresceu 35%, e o Pantanal perdeu 15% de sua área.

    • Meu caro Boanerges Aguiar Castro, eu não discuto ideologia, principalmente baseada em princípios idiotas, eu discuto fatos. O Brasil não tem regime militar, tem um presidente eleito com 58 milhões de votos dados por civis. Se você perdeu algum beneficio dos governos anteriores… conforme-se, agora os tempos são outros.

  5. Excelente texto, senhor Humberto. Aliás, MAIS um excelente texto. Realmente os burocratas de ar condicionado da ONU estão perdidos em suas avaliações, com toda série de acusações equivocadas e até criminosas. Pena que uma instituição que foi criada para promover a concórdia entre os povos seja usada por seguidores de uma ideia ultrapassada para mentir ao mundo. Que sejam ignorados e desprezados! Grande abraço.
    PS: sua resposta ao Boanerges foi perfeita. Ele é um dos que não se deixam enxergar a realidade, repetindo sem pensar as idiotices alheias.

  6. Deve haver algum erro por aqui. Fiz estágio na Floresta Negra e lembro de horas chacoalhando no trenzinho entre Stuttgart e Freiburg. Também nunca vi nenhum rio tão poluído quanto o Sinos (RS) ou o Tietê (SP) por lá. Dá para tomar banho no Danúbio, que aliás nasce ali na Floresta Negra, coisa que já não se pode fazer nos rios brasileiros. Não lembro de ter visto alguma queimada. Nem balsas ou caminhões carregando madeira escondida embaixo de lonas para escapar da fiscalização, aliás quase inexistente, como me mostraram no Mato Grosso. Também não lembro de ter vivenciado a depredação ambiental corriqueira por aqui, por exemplo casos como os que são apresentados por aí na internet como estes: https://crimesambientaisnobrasil.wordpress.com/

    • Meu caro Norberto Vendeto, queimada na Europa não poderia existir. Queimar o que? As florestas já foram queimadas e transformadas em combustível para caldeiras. A Europa não polui os rios, assim não teriam água para beber; eles não tem o aquífero Guarani nem o aquífero Alter do Chão na Amazônia, esses com as maiores reservas de água doce do mundo, em torno de 55%. Os europeus poluem os oceanos, o Mediterrâneo por exemplo é o esgoto da “ecológica” França do “pó de arroz” Macron. Analise a diversificada matriz energética brasileira, muito menos poluente do que a européia. Usamos energia Eólica, energia Fotovoltaica, energia Hidrelétrica, enquanto os hipócritas governantes da Europa querem dar lição ao Brasil mesmo usando combustíveis fósseis; petróleo, gás natural e carvão, produtos altamente poluentes, isso para não falar da energia Nuclear. E mais, muitos brasileiro não menos hipócritas ou no mínimo desinformados fazem as mesmas críticas ao nosso país.

  7. Caro Dr Humberto Luna. Já é hora do povo brasileiro acordar. Mandar a merda OMS, ONU e tirar essas ONGs também, expulsar mandar embora e por tropas.
    Obs: esses paisecos de merda que destruíram tudo agora quer o que é nosso. Muito simples. É hora de boicotar o que é de fora e deixar-mos nosso dinheiro em nosso país. Celulares, infelizmente 70% é chines (por enquanto), mas mandar a merda, produtos estrangeiros. Que fabriquemos aqui. Temos nossas indústrias na mão desses bostas europeus, ainda vem a italiana a tal de enel enel uma pinoia. Carros da bicha francesa o macron, não compro são caros, não prestam, e não tem peças. Hora de dar um fim nesse carnaval.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *