INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL NÃO É GOLPE

Por Humberto de Luna Freire Filho

Resultado de imagem para imagem para intervenção constitucional
IMAGEM: ricardo cebola costa – blogger

A cada dia fica mais difícil esconder a podridão reinante nos três poderes da República  durante os últimos 13 anos,  nos quais o país esteve sob o comando de uma organização criminosa chamada de “partido dos trabalhadores” (minúsculas) que agregava, e ainda agrega, elementos capazes de fazerem inveja a Al Capone, a Fernandino Beira-Mar e ao próprio Paulo Maluf, que na verdade não passava de um aprendiz de feiticeiro. O ex-primeiro ministro britânico Winston Churchill dizia que democracia não é o regime ideal, mas, entre todos, é o menos ruim.  Verdade, desde que não tenha uma classe dirigente tão podre quanto a nossa.

Concordo plenamente com o baixinho (1,66m),  grande homem, mas é bom que fique bem claro, esse regime  de governo precisaria ser implementado em um país minimamente civilizado, pelo menos de maioria alfabetizada, para que que o cidadão não troque seu voto por uma dentadura ou por um par de sandálias. Infelizmente nosso país, queira ou não, é terceiro mundo e tem a maioria do eleitorado composto por analfabetos e semianalfabetos, o que no final resulta em uma democracia não representativa, e a classe dirigente que a compõe invariavelmente é formada por corruptos que levam o país à decadência ética e moral, conforme podemos presenciar atualmente.

Sou contra regimes totalitários, seja civil ou militar. Tenho amigos militares de patente elevada e por várias vezes falei para alguns deles que, militar em quartel, aprende a defender a pátria e não a governar a pátria, mas, a essa altura ,sou totalmente favorável a uma intervenção constitucional. Que se limpe toda essa sujeira, que se faça uma assepsia geral, e no momento oportuno, de preferência sem muita demora, se convoquem eleições livres e o eleito, seja civil ou militar, assuma o comando do país, pensando no país.  

Humberto de Luna Freire Filho, médico

Facebookmail

5 ideias sobre “INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL NÃO É GOLPE

  1. É Dr.
    eu penso mesmo que a constituição deveria ser suspensa por um período de tempo suficiente para acabar com o senado definitivamente e diminuir o número de deputados. E também, prender uns ministros corruptos do STF.

  2. Alô, Humberto ! Segundo o Ibope, as discussões da reforma da Previdência são lembradas por 26% dos entrevistados, enquanto só 2% (dois por cento) se recordam do saque das contas inativas do FGTS. Isso é quase que inacreditável ! O tema da reforma previdenciária não sai do noticiário (rádio, TV, jornais, internet, etc.) e, mesmo assim, só é lembrado por 1/4 das pessoas consultadas ! Outra: como entender que o recente saque das contas inativas do FGTS, feito por 30 milhões de trabalhadores (!) possa ter sido olvidado tão precocemente ? Que povo é esse que não se lembra sequer de fatos atualíssimos que favoreceram enormemente seu bolso, sabidamente a parte “mais sensível” do corpo ? Como V. sou defensor da democracia mas, por vezes, e dado o grau de degeneração de nossas instituições políticas, desanimo e chego a entender o desabafo “politicamente INCORRETO” do último presidente do ciclo militar – João Figueiredo – quando deixou escapar que um povo que não sabe nem mesmo escovar os dentes não está preparado para votar – o que vai bem ao encontro do que V. escreve. De certa forma a falta de memória, de noção, de educação e de informação de grandes parcelas da sociedade explicam a grave situação que o País atravessa. Abs. Silvio

    • Silvio, nosso maior problema é cultural, repito sou contra regime ditatorial, mas uma intervenção para limpar o “galinheiro político”, eu concordo, e acho que não deveria demorar muito. Seria uma grande oportunidade para que se realizassem as necessárias reformas. A Política, a Trabalhista, a Previdenciária e a Eleitoral.

  3. Alô, Humberto ! Segundo o Ibope, as discussões da reforma da Previdência são lembradas por 26% dos entrevistados, enquanto só 2% (dois por cento) se recordam do saque das contas inativas do FGTS. Isso é quase que inacreditável ! O tema da reforma previdenciária não sai do noticiário (rádio, TV, jornais, internet, etc.) e, mesmo assim, só é lembrado por 1/4 das pessoas consultadas ! Outra: como entender que o recente saque das contas inativas do FGTS, feito por 30 milhões de trabalhadores (!) possa ter sido olvidado tão precocemente ? Que povo é esse que não se lembra sequer de fatos atualíssimos que favoreceram enormemente seu bolso, sabidamente a parte “mais sensível” do corpo ? Como V. sou defensor da democracia mas, por vezes, e dado o grau de degeneração de nossas instituições políticas, desanimo e chego a entender o desabafo “politicamente INCORRETO” do último presidente do ciclo militar – João Figueiredo – quando deixou escapar que um povo que não sabe nem mesmo escovar os dentes não está preparado para votar – o que vai bem ao encontro do que V. escreve. De certa forma a falta de memória, de noção, de educação e de informação de grandes parcelas da sociedade explicam a grave situação que o País atravessa. Abs. Silvio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *