O STF DE ONTEM E O STF DE HOJE. NADA MUDOU

Por Humberto de Luna Freire Filho   *deputado não reeleito é deputado preso*

O STF DESAFIOU HERÁCLITO – LÁ,  “AS ÁGUAS”  CONTINUAM AS MESMAS
Resultado de imagem para imagem para o mesmo do mesmo
IMAGEM: Pensador

TEXTO ENVIADO  EM 18 DE SETEMBRO DE 2013  PARA VÁRIOS JORNAIS

Avacalhou geral. Agora sem a menor dúvida, sabemos que estamos nas mãos de perigosas quadrilhas homiziadas nos três poderes da República. Acompanhei as três últimas seções do Supremo Tribunal Federal (STF), que analisava ou não a procedência dos embargos infringentes e, sem nenhum conhecimento mais profundo na área jurídica, eu já tinha o meu palpite sobre o placar, antecipadamente definido.

Apenas torcia para que, como cidadão brasileiro e adepto da justiça, da ética e da moral, ele fosse diferente. Mas…infelizmente não foi; simplesmente generalizou a falta de vergonha e falta de caráter e a inversão de valores que predominam no país há 12 anos, comandado pelo Executivo com o respaldo de Legislativo e agora sacramentado com a desmoralização do terceiro poder da República, trazendo insegurança jurídica para toda a sociedade

Não é difícil entender essa minha “premonição”, não é verdade? São poucos os indicados para o Supremo Tribunal Federal que tem a coragem de executarem as suas funções com independência. Vou desenhar meu raciocínio somente para o pessoal do bolsa-família. Gente, vamos roubar, vamos ser corruptos, que a nossa justiça garante, afinal o crime compensa. Aviso aos navegantes: cuidado, é preciso ser amigo do rei. Que o diga a cúpula desse governo que há 12 anos se locupleta na promiscuidade entre o público, como se sua propriedade fosse, e o privado.

Sabemos que ainda existem cidadãos de bem na esfera do judiciário e posso citar como exemplo o ministro Joaquim Barbosa, que mesmo tendo sido indicado pelo bando mor para o cargo de ministro do Supremo, exerceu e exerce até hoje suas funções com independência, mas que, após essa pouca vergonha que acabamos de assistir, deveria, na minha opinião, renunciar ao cargo juntamente com todos os outros ministros que recusaram os embargos infringentes, mas no final foram votos vencidos

Nossa Suprema Corte desmoralizou-se em consequência do servilismo de ministros sem pejo, sem pudor, sem acanhamento, que para atender a interesses escusos cuspiram na cara do cidadão e acabaram mostrando porque lá estão. Reafirmo minha opinião: os dignos ministros que, em nome da lei, da justiça e de suas consciências possuídas, sem nenhum comprometimento com os corruptos do Executivo e do Legislativo, não deveriam continuar frequentando esse antro de vergonhosa subserviência. Um verdadeiro muquifo que, junto com tantos outros da esfera federal, deveria ser fechado para dedetização.

Essa corte não poderá continuar existindo só para dar continuidade aos interesses do Executivo em seu ritual ideológico de segregação de nossa sociedade. Não é mais a guardiã da Constituição como deveria ser. A aceitação dos embargos infringentes pela pela maioria dos ministros criou uma nova divisão dos brasileiros em relação com a lei. A elite política é superior à Lei e o cidadão comum subordinado a essa mesma Lei. Ou seja, o cidadão brasileiro não mais é igual perante a Lei.

O nosso país, de oposição vendida, transformou-se  nos últimos 12 anos na maior imoralidade administrativa do planeta. É pena que essa terra seja habitada por homens extremamente covardes travestidos de pacatos e que nada fazem diante de toda essa podridão comandada por incompetentes e corruptos. Enfim nós, brasileiros que trabalhamos, produzimos e pagamos nossos impostos temos que engolir mais essa imoralidade e conviver com ladrões impunes, isentos de imposto de renda, dando entrevistas, fazendo-se de vitimas e sendo endeusados por uma imprensa comprometida com a publicidade oficial superfaturada.

Enquanto isso o partido dominante continua sua doutrinação usando os ensinamentos de Gramsci: segregar a sociedade para melhor dominar; criar minorias e dar tratamento diferente de acordo com a conveniência de cada uma. Conseguiram até segregar a justiça; veja que agora temos  no Brasil duas “justiças” diferentes em duas cortes superiores. O STF aceita embargos infringentes, o STJ não, quando deveriam ser iguais.

Sou contra qualquer regime totalitário, seja militar ou civil, seja de direita ou de esquerda, mas, hoje, medidas para defender nossa Constituição, nossa integridade territorial, hoje  ameaçada no Norte do país com a criação de territórios indígenas; e a democracia, já deveriam ter sido tomadas pelas  Forças Armadas, responsáveis e pagas para tal. Porém elas  encontram-se hoje  sob o comando de três patetas acovardados, que não honram as fardas e ainda recebem ordens de um nanico físico e moral, que após desmoralizar o nosso Itamaraty perante o mundo, agora tenta desmoralizar a última instituição em que o povo ainda deposita confiança e alguma esperança.

Humberto de Luna Freire Filho, médico – Cidadão brasileiro sem medo de corrupto.

Facebookmail

6 ideias sobre “O STF DE ONTEM E O STF DE HOJE. NADA MUDOU

  1. Humberto, acredito que o STF de hoje é pior do que o de 2013, ano em que você escreveu seu indignado mas pertinente artigo. Ainda restava um pouco de pudor nas atitudes do ministro Gilmar Mendes, muito embora lá já estivessem os tenebrosos Lewandowski e Tofolli (tenho tanta ojeriza por esses dois que nem me dou ao luxo de saber a grafia correta de seus nomes). Fico bastante entristecido em saber que um dos ministros mais equilibrados do STF, Celso de Melo, tivesse manifestado seu convencimento de que a possibilidade de prisão após o julgamento de segunda instância fere o princípio da presunção de inocência. Ora, num país onde o clamor do povo pede o fim da impunidade, vemos esses juízes insistir na necessidade de se aguardar sucessivos julgamentos para que somente então o criminoso possa ser preso. Será que esses ministros acham justo que bandidos cometam crimes aos trinta anos e só sejam presos aos noventa, como Paulo Maluf? Se o STF modificar novamente seu entendimento estabelecido em 2016, admitindo a prisão após condenação em segunda instância, entendimento esse que tem a acolhida da grande maioria dos brasileiros, dando esse passo para trás, para atender os grandes criminosos do Brasil, como Lula e outros, tenho certeza de que o STF se apequenará, como dito nas palavras da ministra Carmem Lúcia. Torço para que isso não ocorra.

    • Realmente Abel, é triste ver o ministro Celso de Melo, as vésperas de deixara a corte, sujar seu passado ao forçar a ministra Cármen Lúcia a pautar um tema já votado em plenário, só para atender interesse de bandidos.

      • Por essas e outras, Humberto, cresce em mim a sensação de que só o advento de um governo de direita, com novos valores a reger os destinos do Brasil, baseados na meritocracia, na linha dura contra o banditismo, pondo um fim na doutrinação ideológica nas escolas, enfim jogando na lata do lixo as bobagens promovidas por sucessivos governos de esquerda, desde o fim do regime militar, é que poderemos ver renascer o Brasil que queremos. .

        • Abel, um novo Brasil, acredito que só teremos de médio para longo prezo, e se, as escolas de nível médio voltarem a ensinar: Matemática, Português, História, Geografia, Ciências e Moral e Cívica. Precisa sair do currículo atual: ideologia de gênero, o politicamente correto e destruir o laboratório das ideias de Antonio Gramsci.

  2. Com tristeza tenho que concordar com teu escrito, a justiça antes um paladino da moral e dos bons costumes, onde podíamos confiar, hoje é um antro de pervertidos sem nenhum pudor para desmoralizarem-se e proporcionar um péssimo exemplo à sociedade brasileira de como se faz para proteger bandidos e o resto que se dane, que não é comigo!!! estamos no fim do mundo com esses homens togados que não medem esforços para perder o respeito!! em pensar que setembro assume à Presidência do STF um inútil cara de pau despreparado advogado do PT, Dias Toffoli…isso é um espanto!!

    • Lilian, a justiça brasileira começou a descer a ladeira no governo de FHC, o pseudo comunista que só passa férias eu seu apartamento de PARIS. Até acho que ele nunca foi a Havana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *